sexta-feira, 7 de setembro de 2012

TEMPEST em SUBDIVIDIONS (1983)

Como é tradicional no nosso blog, saímos garimpando aparições de jogos de nave nas variadas produções humanas, em geral conseguimos achar aaprições em video. á alguns dias nosso editor Kollision achou o célebre GALAGA numa cena de "OS VINGADORES", filme mais-que-pipoca produzido pela Marvel "miaeiro" Comics.

Eis que fuçando alguns discos aqui em casa, achei uns VHS a banda canadense RUSH, e justamente numa das melhores faixas produzidas pela banda, estava o herói da canção, jogando o cássico TEMPEST.

Confiram o jogo, aproveitem a música e viajem na mensagem, ela é atualíssima.


A mensagem de "SUBDIVISIONS" deve ser propagada.

Imagens do jogo

O painel de controle do jogo

Algumas instruções do jogo

 Cartaz com propaganda do jogo, espalhado pelas ruas alemãs

A "marquee"

Abaixo, algumas versões de TEMPEST:
 Até mesmo o Atari Jaguar tem uma (horrível) versão do jogo, com uma capa mais que pavorosa! 

  A versão XBLA

A versão Atari 2600

Uma palhinha

Este é TORUS, inspirado em TEMPEST.

Peço perdão aos fãs do jogo por deixar passar batidos os 30 anos desse incrível jogo, mesmo sendo um dinossauro dos games, eu só vim conhecê-lo recentemente.

3 comentários:

  1. Eu escuto essa música sei lá desde quando, umas das minhas preferidas do Rush. O jogo aparece a partir de 4:37.

    Segue a letra da belíssima canção traduzida:

    Subdivisões

    Espalhados nos confins da cidade
    Em ordem geométrica
    Uma fronteira isolada
    Entre as luzes brilhantes
    E o distante e obscuro desconhecido

    Crescendo, tudo parece tão parcial
    Opiniões todas arranjadas
    O futuro pré-decidido
    Isolado e subdividido
    Na zona de produção em massa

    Em lugar nenhum estão os sonhadores
    Ou os desajustados tão solitários

    Subdivisões -
    Nos saguões do colegial
    Nos shoppings
    Obedeça ou fique de fora
    Subdivisões -
    Nos porões dos bares
    Nas traseiras dos carros
    Seja bacana ou fique de fora
    Qualquer fuga pode ajudar a amenizar
    A verdade pouco atraente
    Mas os subúrbios não possuem charme para aliviar
    Os sonhos inquietos da juventude

    Atraídos como mariposas nos amontoamos na cidade
    A eterna e velha atração
    Em busca de ação
    Acesos como vaga-lumes
    Apenas para sentir a noite pulsante

    Alguns irão vender seus sonhos por pequenos desejos
    Ou perderão a competição para ratos
    Serão pegos em armadilhas
    E começarão a sonhar com algum lugar
    Para relaxar seu vôo inquieto

    Algum lugar fora da memória
    De ruas iluminadas em noites quietas...

    ResponderExcluir
  2. É isso aí, mestre! Shmup é algo transcendental...

    ResponderExcluir
  3. Que belo achado, Tião, e com mensagem!

    ResponderExcluir